Em ternura

Os seres humanos, por natureza, tendem a ser impacientes. Nos incomoda encontrar longas filas, nos incomoda esperar para obtermos uma informação e nos irrita ter que repetir uma informação novamente, o que faz nossa irritabilidade e intolerância vir rapidamente à luz. “A atividade é às seis da tarde”, “retire os pratos da mesa quando terminar de comer”, “não deixe os sapatos na sala”, são somente alguns dos exemplos de ordens que temos que repetir várias vezes, provocando irritação e raiva.

Quando estamos diante de uma criança que nos faz as mesmas perguntas muitas vezes, nossa irritação tende a ser menor. Porque? Por que sabemos que estamos diante de uma criatura inocente, frágil, que apenas começou a descobrir o mundo ao seu redor. A ternura que nos toca tende a ser maior que a irritação.

 Creio que algo assim acontece com nosso Pai Celestial em relação a nossos pecados e debilidades. Com quanta frequência, ao longo de nossos anos no Senhor, nos vemos surpreendidos pelas mesmas dúvidas, ansiedades, temores e pecados pelos quais regressamos às mesmas promessas e verdades que são nossas em Jesus? E talvez, quando nos colocamos diante do Senhor e derramamos nosso coração, podemos imaginá-lo no céu, balançando a cabeça de um lado a outro e dizendo: Outra vez? Será que você nunca vai aprender? Quantas vezes devo repetir que estou com você, e que você deve confiar em mim?

Quando pensamos no caráter de Deus, provavelmente venham a nossas mentes atributos como: Onipotente, Onisciente, Justo, Bom, Santo, todos os quais sã certos. Entretanto, você pensa em Deus como um Pai amoroso? Sim, assim como nós podemos ser pacientes e amorosas com uma criança que repete perguntas uma e outra vez, quanto mais nosso Pai Celeste transborda de ternura para com seus filhos:

Porque a porção do Senhor é o seu povo; Jacó é a parte da sua herança.
Achou-o numa terra deserta, e num ermo solitário cheio de uivos; cercou-o, instruiu-o, e guardou-o como a menina do seu olho.
Deuteronômio 32:9,10

Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo muito amor com que nos amou,
Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)
Efésios 2:4,5

  Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.Tiago 5.11

Assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem.
Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó.
Salmos 103:13,14

Da próxima vez que você enfrentar o mesmo pecado ou tiver as mesmas dúvidas, não pense no seu Senhor como um amo irritado diante da incompetência de seu servo. Pense no seu Senhor como um Pai terno e amoroso, compassivo, e como Maria, lance-se a seus pés e derrame o seu coração.

2 Tendo, pois, Maria chegado aonde Jesus estava, e vendo-o, lançou-se aos seus pés, dizendo-lhe: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.

33 Jesus pois, quando a viu chorar, e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se.

Joao 11.32-33

Como já foi observado por uma autora, a tristeza de Cristo é ainda mais surpreendente se pensarmos que Jesus sabia que em alguns instantes Ele ressuscitaria a Lázaro. Não obstante, chorou com seus queridos amigos porque nosso Salvador é terno e compassivo.

Nosso Pai Celestial não é indiferente às lutas que experimentamos no processo de ser conformadas com a imagem de seu filho.

 “Não estamos sós na luta com o pecado. Deus não está nos olhando desde seu trono celestial dizendo: Quando você vai mudar? Quando vai se livrar deste pecado? Ao contrário, Ele vem a nosso lado dizendo: “Vamos enfrentar este pecado, mas enquanto isso, quero que você saiba que não a culpo por ele”. Deus não é nosso juiz; Ele agora é nosso Pai Celestial, que nos ama com um amor infinito.

Nosso Senhor é um Pai carinhoso. Corra para os seus braços seja mais uma vez restaurada !!!

https://www.avivanuestroscorazones.com/mujer-verdadera/blog/en-ternura/

Sobre el autor

Massiel Zapata

Massiel conoció al Señor a los dieciocho años y al presente trabaja en educación cristiana como profesora de lengua española, lo cual considera como un privilegio y una enorme bendición. También sirve en el Ministerio de Jóvenes Adultos de su iglesia local. Su anhelo es poder compartirles a mujeres de todas las edades que conocer al Señor a través de Jesucristo es el mayor deleite que podemos alcanzar en este mundo.